Archive | Infraestrutura RSS for this section

Os 6 passos para otimizar energia do data center

OptiViewXG Verificar a conta e optar por virtualização estão na lista de ações que podem ser tomadas para garantir a eficiência do ambiente.

Estudo recente da Universidade de Stanford, conduzido pelo professor Jonathan Koomey, aponta que de 2005 a 2010 houve crescimento de 36% no consumo de energia nos data centers dos Estados Unidos. Um número menor do que muitos analistas previam, mas ainda assim significativo.
Em uma economia em constante instabilidade, vale a pena dar uma olhada em como aumentar a eficiência energética em data centers, especialmente porque, em muitos casos, a eficiência energética pode ser obtida sem grandes reparações de equipamentos ou instalações de TI.

Leia Mais…

Pergunta: O que é vital para o sucesso da consolidação de um Data center?

data_center_344x320 Antes de partir para um projeto como esse, considere os desafios do processo e busque especialistas para ajudá-lo.

Consolidação de data centers continua a ser um tema quente. E com razão. A iniciativa provou ser uma maneira eficaz de reduzir custos e a complexidade, estabelecendo uma gestão de TI mais eficiente. Mas, enquanto os benefícios são comprovados, o caminho para o sucesso leva à navegação cuidadosa.
Organizações costumam olhar a consolidação de data centers como uma forma de gerenciar as despesas e reafirmar o controle sobre ambientes altamente distribuídos. Já que essas são as grandes razões, é fundamental que a organização compreenda de forma completa o significado da consolidação, incluindo benefícios, riscos e desafios em potencial, para assegurar uma implementação bem-sucedida.
Para direcionar a organização rumo ao sucesso, considere as melhores práticas abaixo para evitar armadilhas comuns e colher os benefícios da consolidação.

Leia Mais…

Seis dicas para economizar espaço de armazenamento

armazenamento-dados Com o crescimento exponencial do volume de dados, as companhias investiram pesado em equipamentos para armazenamento, mas muitas estão com essas máquinas subutilizadas. Estudos da IDC revelam que aproximadamente 70% dessa infraestrutura está ociosa. O economista-chefe da empresa de armazenamento Hitachi Data System, David Merrill, dá seis dicas para um melhor aproveitamento do storage.

1- Virtualize seus equipamentos de armazenamento

O valor de aquisição dessas máquinas corresponde por cerca de 20% a 30% do custo total de propriedade (TCO) do armazenamento. Há também a necessidade de investir de três a cinco do montante em gerenciamento e manutenção.

A virtualização de storage se apresenta como uma forma de reduzir a carga de gerenciamento por meio da administração dos recursos do armazenamento de vários fornecedores com uma interface unificada. Esse modelo diminui o TCO, ajuda a expandir o uso de recursos heterogêneos, inclusive sistemas mais antigos. Outra vantagem é aumento da disponibilidade dos aplicativos.

Leia Mais…

Fibre Channel e Storage Area Network – Parte I

Fibre Channel e Storage Area Network – Parte IA tecnologia de Storage Area Networks (SANs) mudou a arquitetura dos sistemas de TI. Nos sistemas convencionais, os dispositivos de armazenamentos são conectados diretamente aos servidores por meio de cabos. A idéia por trás do armazenamento em rede é que os cabos são substituídos por uma rede, que é instalada em adição a existente LAN. Servidores e dispositivos de armazenamentos podem trocar dados por esta nova rede usando o protocolo SCSI.

De forma simplificada poderíamos falar que na arquitetura convencional de TI, os dispositivos de armazenamentos geralmente são ligados a um ou dois servidores. Portanto, outros computadores na rede não conseguem acessar estes dispositivos diretamente, o acesso dar-se através do computador ligado diretamente ao dispositivo. Se os computadores ligados aos dispositivos falharem, os dados contidos neles não poderão ser acessados. Este não é um cenário atraente para aplicações que necessitam operar 24/7/365.

Além disso, a tecnologia convencional não é mais suficiente para atender a crescente demanda de armazenamento. Com a maior necessidade da capacidade de armazenamento, mais dispositivos são conectados aos computadores. Contudo, a capacidade de conectar mais dispositivos aos computadores é limitada.

Leia Mais…

VLAN – Trunk utilizando 802.1q (dot1q)

VLAN - Trunk utilizando 802.1q (dot1q)

A utilização de VLAN (Virtual Local Area Network) permite que uma rede física seja dividida em várias redes lógicas dentro de um Switch. A partir da utilização de VLANs, uma estação não é capaz de comunicar-se com estações que não são pertencentes a mesma VLAN. Para isto, é necessário a utilização de uma sub-rede por VLAN e que o tráfego passe primeiro por um roteador para chegar a outra rede ou utilizando um Switch Multicamada para efetuar o Roteamento.

Leia Mais…

Investimentos em servidores corporativos cresceram 41%

servidores corporativos Segundo IDC, segmento foi o que mais obteve recuperação nos investimentos realizados pelas empresas

Os investimentos no mercado Enterprise, que acompanha a movimentação de hardware (servidores e storage) e software, o segmento de servidores corporativos cresceu 41% no segundo semestre de 2010 em relação ao período anterior, apontou uma pesquisa realizada pela IDC e divulgada nesta sexta-feira (20/05).

O estudo ainda revelou que o segmento foi o que mais obteve recuperação nos investimentos realizados pelas empresas, principalmente no setor de finanças e telecomunicações, que são os grandes compradores deste tipo de tecnologia.

Leia Mais…

Internet via rede elétrica: mais barata e prática, mas ainda restrita

internet via rede elétrica A internet via rede elétrica ainda está longe da maioria dos brasileiros. Em São Paulo, primeira cidade em que a tecnologia BPL (broadband over power lines, em inglês) está disponível ao consumidor doméstico, apenas 300 endereços distribuídos nos bairros de Jardins, Moema e Pinheiros estão adequadamente equipados para usufruir da novidade. É pouco. Mas os benefícios para esses consumidores – e, eventualmente, os futuros – são evidentes.

Segundo a Intelig, distribuidora do serviço, o plano básico, com velocidade de 5 Mbps, custa 75 reais por mês. São 15 reais a menos do que os similares via cabo. A diferença é proporcional à capacidade de transmissão de dados. O pacote de 15 Mbps, por exemplo, limite da rede baseada em eletricidade, sai por 125 reais. Planos similares de operadoras a cabo variam entre 119 reais e 199 reais. A operadora aponta que os valores mais baixos são consequência do aproveitamento de uma rede já existente – mas não explorada – e incentivos para a propagação do modelo.

Leia Mais…

%d blogueiros gostam disto: