Ciclo de Vida do Serviço de TI

Ciclo de Vida do Serviço de TIO gerenciamento da infra-estrutura de TI é o responsável pelos componentes da Tecnologia da informação que irão suportar a operação dos serviços que durante todo o ciclo de vida poderá ser descrito pelas fases:

  • Requerimento: O cliente demanda a área de Tecnologia da Informação a criação de um serviço de TI, o qual será apoiado por componentes da infra-estrutura de TI.
  • Política: A área possui políticas a serem observadas para o atendimento da demanda do cliente, repercutindo em uma estratégia para a realização do atendimento à demanda do cliente.
  • Estratégia: Á área de TI elabora a estratégia para atendimento à demanda do cliente, definindo os fatores críticos de sucesso e os indicadores a serem utilizados para monitoramento do serviço a ser aprovisionado, a qual servirá de base para a elaboração do plano de atendimento à demanda do cliente.

  • Plano: Descreve como será feito o atendimento à demanda do cliente, detalhando os componentes da infra-estrutura a serem envolvidos.
  • Validação: É realizada uma validação do plano de atendimento à demanda do cliente, verificando o perfeito atendimento às necessidades deste e à composição de componentes da infra-estrutura a ser utilizada para disponibilizar o serviço requerido.
  • Implementação: É realizada a instalação e a configuração dos componentes de infra-estrutura que irão suportar o atendimento à demanda do cliente, sendo, ao final, validada pelo usuário do serviço disponibilizado.
  • Operação: O serviço é disponibilizado e os usuários passam a interagir com ele, por isso é o dia-a-dia do serviço disponibilizado, durante toda a vida útil, ou seja, até que ele não seja mais necessário ao negócio, todos os problemas que surgem são direcionados e resolvidos, procurando-se manter o nível de desempenho do serviço acordado com o cliente.
  • Obsolescência: É o fim da vida útil do serviço que indica que o serviço já não é mais necessário para o negócio ou para o custo de manutenção não mais compensa a manutenção em operação, justificando-se a sua retirada ou renovação.

Projeto de um serviço de TI
O serviço de TI pode ser entendido como a realização de um projeto, o qual parte dos requisitos do negócio, obtidos a partir dos processos de entrega dos serviços do ITIL e culmina a retirada de operação, quando o serviço alcança sua fase de obsolescência.

Para o gerenciamento de Projetos a ITIL recomenda a utilização de uma metodologia específica, a qual pode ser uma das existentes no mercado, tais como as baseadas no PMBoK já no Brasil, as metodologias de Gerenciamento de projetos mais difundida se utilizadas são as derivadas do PMI (Project Management Institute), baseadas no PMBoK (Project Management Boby of Knowledge), uma vez que a grande maioria das organizações que operam em território nacional, ao necessitarem de profissionalismo no Gerenciamento de Projetos, recorrem a profissionais certificados pelo PMI, conhecidos como PMP (Project Management Professional).

O PMBok descreve um projeto como sendo uma sucessão de fases, as quais podem ser vistas como:

  1. Inicialização
  2. Planejamento
  3. Execução
  4. Controle
  5. Finalização

Baseado no Tempo x Nível de Esforço
Ao se tratar do projeto de um serviço de TI, aprende-se a necessidade de manusear os diferentes componentes da infra-estrutura, os quais necessitam também ter seu ciclo de vida controlado, de modo a subsidiar a tomada de decisão no processo de aprovisionamento de serviços de TI para a organização. Uma vez definidos os componentes da infra-estrutura de TI que irão compor um determinado serviço de TI e tendo sido os dados referentes a tais componentes cadastrados na Base de Dados de Gerenciamento de Configuração, alterações ou eliminação dos mesmos componentes só poderão ser realizadas pelo processo de Gerenciamento de Configuração.

Gerenciamento de configurações
Este processo é responsável por identificar e definir os componentes que fazem parte de um serviço de TI, registrar e informar o estado desses componentes e das solicitações de mudança a eles associadas e verificar-se os dados relacionados foram todos fornecidos e se estão corretos, proporcionando o suporte necessários para a boa consecução dos objetivos dos demais processos da ITIL.

O Processo de Gerenciamento de Configuração permite à equipe de TI controlar efetivamente os inúmeros componentes da infra-estrutura de TI sob sua responsabilidade, os quais constituem os ativos da área que, deste ponto em diante, serão denominados itens de Configuração.

Um item de Configuração pode ter um equipamento, um programa, aplicação ou sistema, um documento ou ainda qualquer outro componente que possa ser considerado relevante para o gerenciamento da infra-estrutura de TI.

A ITIL não delimita o alcance do que poderá ser considerado um item de configuração (IC), entretanto deve-se definir esse alcance como um meio de gerenciar a complexidade, bem como do esforço a ser despendido na manutenção e no gerenciamento dos dados relacionados.

Ou seja, em toda via de regra, considera-se um IC qualquer componente que possa ser descrito como um ativo de TI, no que se refere às demonstrações contábeis e os demais componentes a eles associados pela necessidade de suportar sua operação, tais como: microcomputador, placa de rede, software, manual técnico de um equipamento e procedimento de trabalho.

Fonte: Fabiana Segatto

Anúncios

Tags:

About Desmonta&CIA

Somos um blog que busca informar aos apaixonados por tecnologia tudo sobre o mundo de TI.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: