Entenda a tecnologia Wireless USB

Entenda a tecnologia Wireless USBO WUSB (Wireless USB) é uma versão sem fios do USB, que utiliza o sistema UWB para a transmissão de dados a curtas distâncias, utilizando sinais de baixa potência. Em teoria, o WUSB suporta taxas de transmissão de até 480 megabits a distâncias de até 3 metros e 110 megabits a até 10 metros.

Como o sinal utiliza uma potência muito baixa, o WUSB é adequado para interligar aparelhos dentro do mesmo ambiente (a mesma sala ou escritório, por exemplo), sem que existam obstáculos importantes entre eles.

O objetivo é que o WUSB seja uma opção ao uso do USB em todo tipo de periféricos, incluindo mouses, joysticks, impressoras, scanners, câmeras digitais, mp3players e até mesmo HDs externos.

As taxas de 480 e 110 megabits divulgadas são as taxas de transmissão “brutas”, que não incluem as perdas causadas pelo protocolo de transmissão, correção de erros, atenuação do sinal e assim por diante. As taxas obtidas na prática, sobretudo a distâncias maiores do que 3 ou 4 metros são muito inferiores, de forma que, em termos de velocidade, o WUSB não se compara diretamente ao USB 2.0.

Apesar disso ele ganha na questão da praticidade e “cool factor”, já que permite que você baixe as fotos da câmera, ou copie músicas para o mp3player sem precisar primeiro conectá-los ao PC. Existe ainda a possibilidade de ligar diretamente um dispositivo ao outro, permitindo que a câmera imprima fotos na impressora, ou o mp3players toque músicas armazenadas em um HD externo, por exemplo. Assim como no USB, é possível interligar até 127 dispositivos.

Além de dispositivos com transmissores WUSB nativos, existem dois tipos de adaptadores. O primeiro é um transmissor que permite que PCs sem transmissores se comuniquem com dispositivos WUSB. Ele é parecido com um pendrive ou adaptador bluetooth, que você pluga em uma porta USB disponível e se chama WHA.

O segundo é uma espécie de “hub” (chamado de WDA), destinado a ligar dispositivos USB ao PC com o transmissor. Você poderia ligar sua impressora USB no WDA e assim acessá-la a partir do seu PC com um transmissor WUSB.

Existe ainda a possibilidade de juntar um WHA e um WDA, criando uma espécie de hub USB sem fios. Até que as placas-mãe, notebooks e outros dispositivos com transmissores WUSB tornem-se populares, essa é provavelmente a única classe de produtos wireless USB que você verá à venda. Um exemplo é o Belkin Cable-Free USB, um dos primeiros produtos da nova safra:

Entenda a tecnologia Wireless USB

Ele inclui um WDA com 4 portas e um WHA para ligar no PC. Uma vez instalado, ele cria um link wireless com o hub, fazendo com que qualquer dispositivo conectado nele fique acessível a partir do seu micro. Não é o tipo da coisa que você mataria para ter, mas abre algumas possibilidades interessantes. Você não precisa mais deixar a sua impressora e scanner USB ao lado do micro, por exemplo, pode colocá-los em qualquer lugar do ambiente.

Este gráfico, fornecido pela Belkin, mostra o desempenho esperado para as diferentes classes de dispositivos WUSB:

Entenda a tecnologia Wireless USB

No topo, estão os 480 megabits “brutos”, que nunca são atingidos em situações reais, devido a uma série de fatores. No segundo nível estão as controladoras USB 2.0 cabeadas, que atingem taxas reais em torno de 270 a 320 megabits. O restante é perdido devido ao protocolo de sinalização usado, que garante que os dados sejam transmitidos de forma confiável, mas em troca fica com seu quinhão da taxa de transmissão.

Na terceira camada está o desempenho atingido pelos dispositivos WUSB em condições ideais (curtas distâncias, sem obstáculos e sem interferências), onde temos três possibilidades.

Ao conectar dois dispositivos com transmissores nativos, é possível atingir taxas reais de até 200 megabits. Se a distância for maior que um ou dois metros, a taxa de transmissão cai sensivelmente, mas se mantêm em um valor razoável.

Ao conectar um PC com um adaptador (WHA) a um dispositivo com suporte nativo, ou um PC com um transmissor nativo a um dispositivo ligado a um WDA, a taxa cai para a faixa dos 80 a 120 megabits. Finalmente, ao usar simultaneamente um WHA e um WDA (como no caso Belkin Cable-Free USB) temos overhead dos dois lados e a taxa de transmissão cai mais ainda, chegando à faixa dos 30 a 45 megabits.

Assim como no caso do Bluetooth, o WUSB utiliza um sistema de associação e autenticação para garantir a segurança. Cada vez que instalar um novo dispositivo, você precisará associá-lo a seu notebook ou desktop, para só então poder usá-lo. Sem isso, qualquer um poderia acessar seus arquivos e fotos enquanto estivesse em locais públicos, o que não seria muito desejável.

Este screenshot, fornecido pelo USB-IF (a associação sem fins lucrativos destinada a clarificar e divulgar o padrão) mostra como o sistema funciona na parte de software. Um gerenciador gráfico, similar ao usado para gerenciar redes Wi-Fi, mostra os dispositivos WUSB disponíveis e o nível de sinal de cada um:

Entenda a tecnologia Wireless USB

Ao contrário do que pode parecer à primeira vista, o WUSB não se destina a concorrer com as redes wireless, já que ele só funciona a distâncias muito curtas. Você poderia compartilhar a conexão com a web entre dois notebooks, ou entre um PC e um palmtop usando o WUSB, mas não seria o tipo de solução que você utilizaria na sua rede doméstica, por exemplo.

O concorrente mais direto seria o Bluetooth, que também é um padrão para interligar dispositivos a curtas distâncias e cumpre muitas das funções a que o WUSB se destina (ele permite transferir dados entre dispositivos e pode ser usado por teclados e mouses, por exemplo). A vantagem do WUSB sobre o padrão Bluetooth atual é que, além de brutalmente mais rápido, os transmissores consomem menos energia. Com base nisto, é possível que o WUSB substitua o Bluetooth em diversas aplicações. O maior problema é o WUSB é um padrão muito novo, cuja adoção ainda está indefinida.

Para que ele se popularize, é necessário que o custo dos transmissores caia para uma faixa igual ou inferior ao que os transmissores Bluetooth custam hoje em dia, o que só acontece quando eles passam a ser produzidos em grande quantidade. Existe ainda a questão da aceitação do público: será que um volume suficiente de usuários aceitará pagar mais caro por dispositivos WUSB, ou será que continuarão preferindo usar cabos?

Além da diferença de custo (um cabo USB será sempre mais barato que um par de transmissores e os demais circuitos relacionados) o USB cabeado oferece a vantagem de fornecer energia, o que permite que diversos modelos de mp3players e outros dispositivos sejam carregados através da porta USB, sem falar nas gavetas para HDs de 2.5″, que acionam o HD utilizando a própria energia fornecida pela porta, sem precisar de fonte. Para eles, não faz sentido migrar para o WUSB, já que ele não resolve o problema da alimentação elétrica.

No caso do Bluetooth, tivemos uma demora de quase 8 anos entre o anúncio do padrão (em 1998) e a sua popularização (que começou pra valer apenas em 2006). O padrão inicial do WUSB foi anunciado em maio de 2005, mas os primeiros produtos chegaram ao mercado apenas a partir do final de 2006, ainda custando US$ 200 ou mais e sendo produzidos em quantidades muito limitadas.

Fonte: Carlos Morimoto

Anúncios

Tags:,

About Desmonta&CIA

Somos um blog que busca informar aos apaixonados por tecnologia tudo sobre o mundo de TI.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: