SaaS – Software as a Service

O modelo tradicional de distribuição de software, no qual o próprio é instalado diretamento no hardware do computador, é conhecido algumas vezes por Software-as-a-Product. Já o modelo de Softaware-as-a-Service tem a distribuição de aplicativos por um serviço conectado à web, hospedados em um servidor. São disponibilizados aos clientes pela Internet. SaaS está se tornando um modelo dominante na entrega de tecnologias suportadas pela web e orientadas por uma arquitetura madura, (service-oriented architecture – SOA). Com isso, é um modelo cada vez mais popular e está associado à condição de assinatura de uma licença, já citado anteriormente como um modelo pay-as-you-go. Ao mesmo tempo, o serviço de banda larga vem se tornando mais acessível para acomodar o acesso do usuário de qualquer parte do mundo.

O grande passo dado pelos Internet Service Providers (ISP’s) para oferecer uma banda maior e juntamente pela introdução constante de microprocessadores mais potentes acoplados aos aparelhos de armazenamento de dados mais baratos, é o fornecimento de plataformas mais amplas para design, de implementação e do uso de softawares em todas as áreas de negócios e de computação pessoal. Aplicações SaaS também devem interagir com outros dados e aplicações igualmente em uma enorme variedade de ambientes e plataformas.

IDC identifica superficialmente dois tipos de modelos de entrega do SaaS. O modelo de gerenciamento de aplicação hospedada/ rosteada é similar ao modelo de Application Service Provider (ASP). No ASP, os aplicativos dos softwares são comercializados e entregues por meio da Internet. O outro modelo entrega por demanda, em que o fornecedore permite acesso ao cliente em sua rede para uma cópia do software criada especificamente para este fim. O modelo SaaS possui vantagens e funcionalidades aos clientes coporativos por seu caráter de baixo custo, permitindo que estes clientes obtenham benefícios sem que haja custos e complicações internas na instalação, gerenciamento, suporte e compra de licenças.

Muitos tipos de softwares são hoje disponibilizados para o modelo SaaS (para gerenciamento de contas e de relacionamento junto aos clientes, softaware de emails, recursos humanos, segurança em TI, gerenciamento dos serviços de TI, vídeo-conferência, análise das estatísticas da rede e de acesso à web, gerenciamento de conteúdo web, entre outros). As soluções do modelo SaaS foram desenvolvidas especialmente para trabalharem com um browser. A arquitetura baseada é espeficamente desenhada para suportar o acesso de vários usuários de uma só vez. Fornecedores das soluções SaaS alavancam enormes economias de escala na implementação, gerenciamento e manutenção de suas ofertas.

Implementação
Muitos tipos de componentes de softwares e de aplicações frameworks podem ser aplicadas no desenvolvimento de aplicações SaaS. O surgimento de novas tecnologias  e de modernos componentes e aplicações podem reduzir drasticamente o tempo de marcado e o custo para a conversão de um produto do modelo tradicional de on-premises em uma solução SaaS.

A arquitetura SaaS pode ser classificada em quatro níveis de maturidade em que os atributos chaves são configuração, eficiência multidisciplinar e escalabilidade. Os níveis são:

Maturidade da Arquitetura Nível 1 – Ad-hoc/ custom: este nível ainda não caracteriza por ter maturidade. Cada cliente possui uma única e customizada versão do aplicativo de hospedagem. O aplicativo roda no servidor de hospedagem. Migrando um aplicativo tradicional ou um client-server para este nível de SaaS requer maturidade para mais um esforço de desenvolvimento e que reduz custos operacionais por consolidar o servidor de hardware e administração.

Maturidade da Arquitetura Nível 2 – Configurabilidade: o segundo nível de maturidade SaaS fornece uma maior flexibilidade de programa por meio da configuração metadata. Neste nível, muitos clientes podem usar separadas instâncias para a mesma aplicação, permitindo que o vendedor possa varias a configuração a partir das necessidades do cliente e com diversas opções. Além disso, permite que o vendedor alivie a carga de manutenção por ser capaz de fazer atualizações com base em um código comum.

Maturidade da Arquitetura Nível 3 – Eficiência Multilocatária: o terceiro nível adiciona o caráter de locação múltipla ao segundo nível. Isto resulta em um simples programa exemplo que tem a capacidade de servir todos os clientes. Esta abordagem permite maior eficiência no uso de recursos sem que haja qualquer diferença aparente para o usuário final, mas ultimamente este nível é limitado em um escala massiva.

Maturidade da Arquitetura Nível 4 – Escalabilidade: neste quarto nível, escalabilidade é adiciona pelo o uso de uma arqruitetura em multicamadas. Esta arquitetura é capaz de suportar uma carga de exploração equilibrada de exemplos de aplicações idênticas rodando em um número grande de servidores (centenas ou milhares). A capacidade do sistema pode ser dinamicamente acrescida ou reduzida para equacionar a demanda de carga/ carregamento, adicionando ou removendo servidores e sem a necessidade de alterar a arquitetura dos aplicativos e softwares.

Aspectos primordiais do SaaS
Implementando aplicações em um serviço orientado de arquitetura é usualmente um problema de maior complexidade em relação os modelos tradicionais de implementação de softwares. Como resultado, as aplicações SaaS são geralmente precificadas com base no número de usuários que tem acesso ao serviço. Existem fees adicionais pelo uso de serviços de help desk, banda larga extra e armazenamento. O fluxo de receita de serviços SaaS é geralmente mais baixo do que a compra de licenças de softwares tradicionais. Entretanto, a busca por um fluxo de receita baixo por licenças de softwares é mensalmente requerido por CFo’s como padrão de medida de trimestra a trimestre. Estas cobranças mensais são vistas como manutenção, como fees, para licenças de softwares.

As características principais dos softwares SaaS são:
Gerenciamento de rede e acesso para a comercialização disponível de software desde um central em vez de um site para cada cliente, permitindo o acesso à aplicações via Internet;
Entrega de aplicações desde um modelo one-to-many (simple exemplo ou de arquitetura de multi-locações) em contraste ao modelo one-to-one;
Reforço centralizado e atualizações fragmentadas que neutraliza qualquer nececcidade para donwload ou instalação pelo usuário. SaaS é frequentemente utilizado em conjunção com rede amplas e largas de comunicações e softwares de colaboração, algumas vezes plugadas em uma arquitetura PaaS.

Benefícios do modelo SaaS
Ciclos de implementação de aplicações dentro das empresas podem levar anos, um consumo massivo de recursos e um resultado insatisfatório. Embora seja um decisão difícil de renunciar o controle, se trata de um modelo de aprimoramento da eficiência, de baixo risco e de retorno generoso do investimento. Um grande número de companhias querem utilizar o modelo SaaS para aplicações corporativas assim como no gerenciamento do relações com seus clientes. O modelo SaaS ajuda empresas garantir que todas as locações são usadas com a versão correta da aplicação. Portanto, o modelo ajuda a formatar dados gravados de forma consistente, compatível e exata. Ao repassar a responsabilidade da aplicação para um servidor SaaS, empresas pode reduzir encargos de administração e de gerenciamento que porventura dispõem em suas próprias aplicações corporativas. SaaS ainda ajuda a aumentar a disponibilidade de aplicações para localizações globais, também assegura que todas as transações de aplicações sejam logadas para o cumprimento dos objetivos.

Os benefícios para os clientes são muito claros:

  • Administração racionalizada;
  • Atualizações automáticas e gerenciamento fragmentado de serviços;
  • Compactibilidade de dados por toda a empresa (todos os usuários possuem a mesma versão de software);
  • Facilidade, colaboração em toda a empresa;
  • Acessibilidade global/ acesso global.

O maior benefício de uma plataforma virtualizada é que se pode aumentar a capacidade do sistema sem qualquer programação adicional. Inversamente, um amontuado de programação pode ser requerida em ordem de ter mais eficiência, aplicações multi-locações. O efeito de combinar locações múltiplas e uma plataforma virtualizada dentro de uma solução SaaS gera maior flexibilidade e performance ao usuário final. O advento de serviços baseados na web proporcionou uma variedade de serviços oferecidos, que também são chamados coletivamente de XaaS.

Fonte: Arlindo Maluli

Anúncios

Tags:

About Desmonta&CIA

Somos um blog que busca informar aos apaixonados por tecnologia tudo sobre o mundo de TI.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: