Como os líderes são escolhidos

lider_0 Os desafios que os negócios impõem aos líderes de TI há muito tempo colocam esses profissionais entre os principais executivos das empresas nas quais atuam. Desde a última edição do IT Leaders, publicada pela Computerworld em setembro de 2008, o ambiente ficou ainda mais desafiador: os profissionais enfrentaram um período turbulento, marcado pela crise financeira mundial.Inovação, estratégia e excelência em gestão estão entre os principais critérios para a escolha dos vencedores do IT Leaders.

O cenário é uma oportunidade para que as principais lideranças fiquem ainda mais evidentes. E, nesse contexto, é muito importante avaliar todas as áreas da companhia que possuem influência direta do CIO.

Para elaborar o ranking e premiar os melhores líderes do mercado, a consultoria IDC e a Computerworld os convidou a responder a uma pesquisa com cerca de 60 questionamentos referentes a diversas dimensões.
Os CIOs receberam pontuação de acordo com as respostas. As questões dentro de cada dimensão possuem pesos diferentes, de acordo com o que é mais relevante para determinar a qualidade de sua gestão. Conheça os principais fatores analisados e que ajudaram na elaboração da lista:

Gestão de pessoas
O critério é um dos fatores que demonstra com mais clareza as capacidades de liderança do CIO. Detalhes importantes foram levados em consideração, como o tempo que o profissional dedica a treinar equipes, como avalia a motivação, como se comunica e como implanta práticas modernas. Este item teve peso 4 na avaliação.

Pensamento estratégico
Questões da pesquisa procuraram medir o quanto o gestor de tecnologia participa das decisões importantes da empresa, como ele lida com clientes internos, como entende o negócio da organização, dentre outros aspectos. Aqui, a pontuação teve peso 5.

Inovação
No quesito, que teve peso 4, mediu-se o quanto a área de tecnologia é uma impulsionadora de inovação na empresa ou se é somente uma executora. Os projetos e o número de pessoas dedicadas à inovação foram avaliados, assim como o percentual de orçamento dedicado à inovação.

Gestão de tecnologia
Nessa dimensão foi avaliada a gestão da tecnologia propriamente dita. Métodos de elaboração de orçamento, alinhamento dos níveis de serviços com áreas de negócios, service desk e práticas de governança entraram na pauta das perguntas, que tiveram peso 5 na avaliação.

Maturidade de infraestrutura
Com peso 3, o bloco de questões buscou avaliar qual é o momento da empresa no que diz respeito às arquiteturas adotadas e como elas estão alinhadas ao que há de melhor no mercado. Aspectos como virtualização, consolidação, arquitetura orientada a serviço, políticas de continuidade, contingência e segurança entraram na avaliação. A gestão dos ativos de TI e as ferramentas automatizadas para o controle de serviços também foram assuntos abordados.

Conhecimento do gestor
Experiência é essencial, mas a formação do profissional também é importante e teve peso 2 na avaliação. Nesse caso, foram avaliados os títulos obtidos pelo CIO, como mestrados e doutorados, quantos cursos realizou, qual foi sua trajetória dentro da empresa e quanto tempo tem de cargo.

Projetos
Os projetos estão ligados a cada uma das dimensões acima, mas entram como item de avaliação para medir a ousadia dos CIOs e a postura que eles assumiram em uma época de crise. Além disso, servem como parâmetro para mostrar quão inovadora é a área dentro da empresa.
Além dos pesos, a IDC atribuiu pontuações específicas para cada questão e estabeleceu o teto e o piso para cada categoria. Desta forma, cada dimensão poderia representar a seguinte pontuação (já considerando seu peso):

tabela

Com esta configuração, cada CIO poderia chegar a, no máximo, 1.347 pontos (e mínimo de -1.016).

Segunda fase de apuração
A pontuação gerada pela etapa acima gerou a primeira prévia, que determinou os finalistas da pesquisa. A partir daí iniciou-se a segunda fase, na qual foram atribuídas pontuações extras por tempo no cargo e tamanho da empresa.
No primeiro item, cada CIO ganhou cinco pontos por ano na mesma empresa. A pontuação foi definida porque a IDC e a Computerworld consideraram a permanência no cargo um indicativo da eficiência do executivo.

O segundo item – tamanho da empresa – foi estabelecido para diferenciar complexidade de ambientes: quanto maior a organização, mais complexo seu ambiente computacional e, consequentemente, os desafios enfrentados pelo departamento de Tecnologia da Informação.
Neste caso, a pontuação seguiu os seguintes critérios:

tabela1

A atribuição destas pontuações determinou os cinco finalistas das 12 categorias do prêmio IT Leaders 2009. Cada um dos 60 finalistas foi entrevistado pela equipe editorial da Computerworld, que detalhou com eles projetos executados, principais desafios enfrentados e planos de suas áreas de TI para os próximos anos.

O resultado destas entrevistas serviu de matéria-prima para uma análise, realizada em conjunto pela IDC e pela equipe da Computerworld que, mais uma vez, atribuiu notas (de 0 a 200) ao conjunto de desafios e realizações de cada executivo, definindo assim os vencedores do IT Leaders 2009.

Fonte: Desmonta&CIA

Anúncios

Tags:

About Desmonta&CIA

Somos um blog que busca informar aos apaixonados por tecnologia tudo sobre o mundo de TI.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: