Mitos e meias-verdades da engenharia de tráfego de redes MPLS TE

trafego

Como acontece com qualquer tecnologia de rede, os designers e os consultores tendem a interpretar mal algumas nuances de engenharia de tráfego MPLS (MPLS TE), resultando em mitos e meias-verdades que se propagam.

Neste artigo abordaremos algumas das mais comuns. A análise é baseada em tecnologia MPLS TE, conforme descrito em diversos documentos (IETF), bem como a implementação atual disponível nas IOS Cisco IOS 12.4T e 12.2S.

01. Mito: MPLS TE é uma prática de QOS

Enquanto MPLS TE pode ser usado para deslocar o tráfego de rede de caminhos sobrecarregados para caminhos alternativos com largura de banda livre, não contempla a qualidade de serviço (QoS), como largura de banda ou de policiamento. As configurações de qualidade de serviço (QOS) devem ser concebidas e implementadas separadamente em cima da infraestrutura MPLS TE. A implantação de MPLS TE em uma rede não melhora (por si só) a qualidade de seus serviços.

02. Meia-verdade: MPLS TE melhora a convergência de redes

A funcionalidade de MPLS Fast Reroute fornece uma correção temporária para uma ligação ou uma falha em um nó, deslocando o TE-MPLS para tráfego encapsulado a um desvio pré-determinado (fornecido para regular o tráfego IP). A convergência da topologia da rede ainda é realizada pelo protocolo de roteamento.

03. Mito: MPLS TE deve ser implementado em toda a rede

Você pode usar MPLS TE em situações táticas, por exemplo, entre alguns roteadores para deslocar o tráfego de um link congestionado ou para fornecer uma proteção de um redirecionamento rápido de um parte crítica na sua rede.

04. Meia-verdade: MPLS TE pode resolver os problemas de congestionamento na rede

MPLS TE não cria nova banda, ele só permite a utilização da largura de banda existente de forma mais eficiente. Você pode usar os túneis MPLS TE para deslocar o tráfego do caminho de menor custo, calculado pelo protocolo de roteamento para um menos utilizado alternativo temporariamente para aliviar o link congestionado. Mas essa ação poderia causar o congestionamento do caminho alternativo, resultando em um efeito dominó em toda a rede.

05. Mito: Bandwidth reservado através de um túnel MPLS TE estará disponível para o tráfego de túnel

Apesar de a tecnologia MPLS TE usar extensões para o Resource Reservation Protocol (RSVP), que foi originalmente projetado para fornecer end-to-end QoS em redes IP, as reservas RSVP servem apenas como um mecanismo de contabilidade no módulo MPLS TE. Isso evita o excesso de inscrições pelo link TE em caminhos MPLS. Reservas MPLS não resultam em nenhuma ação QoS nos nós intermediários. Faltando configuração manual em nós intermediários, o tráfego MPLS TE é tratado de forma indiferenciada do IP ou regular para o tráfego MPLS.

06. Mito: Para usar MPLS TE é preciso implantar MPLS em toda sua rede

MPLS TE pode funcionar sem a implantação do MPLS em toda a rede. O tráfego pode ser enviado através de túneis MPLS TE sem um protocolo de distribuição de rótulo (LDP ou TDP). Importante: Se você estiver executando MPLS baseado em Redes Privadas Virtuais (VPNs), você tem de configurar LDP sobre um túnel MPLS TE, a menos que termine na borda de sua rede um Provider Edge (PE) router.

07. Meia-verdade: MPLS TE só funciona com os protocolos OSPF e IS-IS

MPLS TE pode ser configurado manualmente (especificando todos os saltos no caminho), independentemente do protocolo de roteamento IP implantado na rede. No entanto, se você quiser ter cálculos para caminho automático e desvios automáticos de tráfego IP sobre MPLS TE, você tem que usar OSPF ou IS-IS.

08. Se você usar o MPLS TE Fast Reroute a qualidade do serviço não irá degradar após uma falha de rede

O serviço MPLS TE Fast Reroute estabelecido através de um link falho ou pré-nó para túneis de backup. A qualidade geral do serviço não irá degradar somente se:

  • Esses túneis tiverem largura de banda adequada;
  • Se houver bastante espaço livre nos caminhos de backup;
  • A qualidade do serviço garantir a largura de banda para os túneis de backup;

Em todos os casos, o tráfego desviado ou o tráfego que atravessa o caminho de backup antes de nó ou link falho encontrará degradadas de qualidade de serviço.

09. Meia-verdade: Você pode usar MPLS TE apenas dentro de uma única área OSPF

O MPLS TE não pode ser computado automaticamente, você tem que especificar manualmente, pelo menos a zona de fronteira (ABRs).

O mapeamento automático de tráfego IP em caminhos MPLS TE (autoroute) não está disponível como o roteador, que estabelece o caminho MPLS TE quando não se sabe exatamente a topologia de outras áreas OSPF.

MPLS Inter-área TE não pode ser re-otimizado depois de terem sido estabelecidas – o mesmo é válido para o IS-IS. Túneis dinâmicos de MPLS TE podem ser estabelecidos dentro de um IS-IS único nível, mas eles podem cruzar a fronteira de nível, se você configurar manualmente os pontos de transição.

10. Já não é verdade: você não pode diferenciar o tráfego de clientes com base no Class-of-Service, se você usar MPLS TE

A tecnologia por si só nunca tinha esta limitação, mas a IOS Cisco não suporta múltiplos túneis paralelos carregando diferentes classes de tráfego por um longo tempo.

Fonte: Desmonta&CIA

Anúncios

Tags:

About Desmonta&CIA

Somos um blog que busca informar aos apaixonados por tecnologia tudo sobre o mundo de TI.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: